Aposentadoria privada: O que é? Como Funciona? Confira AQUI!!!

Hoje em dia, muitos brasileiros estão optando por pagar uma aposentadoria privada, como uma forma de garantir uma renda depois da velhice e com mais segurança para aproveitar a terceira idade.

Não podemos pensar que a aposentadoria é uma realidade distante, e que não há necessidade de resolver esta questão agora, tendo em vista que, se você não se prevenir agora, poderá acabar tendo surpresas desagradáveis no futuro.

Caso esteja interessado em obter maiores informações sobre o funcionamento da previdência privada, confira o conteúdo de hoje até o final, pois iremos lhe esclarecer tudo!

O que é uma Aposentadoria Privada?

Uma aposentadoria privada nada mais é do que um fundo de investimento em previdência privada que muitas pessoas aderem, como uma alternativa para poupar dinheiro para a terceira idade.

Esse tipo de aposentadoria privada existe no mundo todo, mas para a sua segurança, as mesmas devem ser fornecidas exclusivamente por seguradoras, tendo em vista que estas empresas precisam ter o comprometimento com o seu assegurado.

Esse compromisso envolve poder receber o valor investido depois que alcançar a terceira idade, ou no período que tenha estabelecido junto à seguradora.

Como funciona a aposentadoria privada?

Agora que já entendemos o que é uma aposentadoria privada, vamos entender também como se dá o funcionamento deste tipo de fundo de previdência.

Tendo em vista que são as seguradoras que ficam responsáveis por oferecer os planos de aposentadoria privada, você poderá ter acesso a diferentes tipos de modalidades, com cálculos distintos do valor que será dado mensalmente.

Aposentadoria privada

Aposentadoria privada

O valor que você terá que pagar todos os meses para a sua aposentadoria privada irá depender muito da renda que você deseja receber em sua aposentadoria.

Obviamente que, quanto maior for o seu investimento, maior será a aposentadoria na terceira idade.

Geralmente, as seguradoras estipulam as mensalidades que serão pagas por seus assegurados, realizando alguns simulados pautados na expectativa de vida do brasileiro, os quais são divulgados pelo próprio IBGE.

Nesse meio, surge o termo “tábuas atuariais”, que nada mais são do que as taxas de juros que podem vir a ser cobradas dentro dos próximos 10, 20 ou 30 anos.

Com isso, poderemos saber com mais precisão quanto necessitamos guardar para a nossa aposentadoria e quanto tempo precisaríamos para isso.

As formas de pagamento dos valores fechados para a aposentadoria podem ocorrem de duas formas:

Contribuição debitada via banco: neste tipo de caso, você irá contratar o plano de aposentadoria concedido pela instituição bancária de sua preferência. O próprio banco irá debitar todos os meses o valor que você tenha contratado para este fim.

Planos oferecidos por seguradoras: nos casos de planos que você venha a fechar com instituições independentes, tais como as seguradoras, geralmente o pagamento será feito através de boleto, ou o próprio assegurado pode fazer um cadastro de débito automático em seu banco.

Fique atento as taxas cobradas!

Precisamos mencionar também que, as aposentadorias privadas possuem três tipos de taxas:

Taxa de Administração: esse tipo de valor é incidente do patrimônio do fundo contratado, e, portanto, acaba tendo um impacto mais elevado na formação da poupança do investidor.

Aposentadoria privada

Taxa de carregamento: neste tipo de custo será descontado de cada uma das aplicações com a finalidade de cobrir os eventuais custos da empresa que é responsável pela administração da sua aplicação.
Taxa de saída: neste tipo de custo é realizado um percentual sobre o valor que será sacado antes de um prazo pré-estabelecido, podendo variar de 2 a 5 anos.

Categorias da Aposentadoria Privada

A Associação Brasileira de Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) afirma que existem 4 categorias para fundos de previdência privada possíveis, os quais são organizados de acordo com a composição da carteira. Veja a seguir quais são eles:

Aposentadoria privada

Renda Fixa: neste caso todos os fundos retornam através de aplicações em ativos de renda fixa, tais como os títulos públicos, CDBs, entre outros. Estes são comumente classificados de acordo com uma média de prazo dos ativos que estejam incluídos em sua carteira, podendo ter uma duração baixa, média, alta, livre, etc.

Balanceados: este é ideal para aqueles que buscam um retorno em longo prazo, através de investimentos em inúmeros tipos de ativos, incluindo até mesmo os de renda fixa, mercado de ações, câmbio, etc.

Multimercados: são denominados desta maneira, pois são fundos que costumam ser aplicados em diferentes tipos de ativos, a partir de regras específicas. Geralmente estes fundos farão investimentos relacionados a juros, moedas estrangeiras, preços, etc.

Ações: este tipo de fundo de previdência faz investimentos de pelo menos 67% da carteira de ações. Eles acompanham o mercado acionário e os fundos ativos não precisam seguir um índice especial.

E aí? O que você achou do nosso conteúdo de hoje? Foi útil para você possa compreender melhor como se dá o funcionamento da aposentadoria privada?

Você está pensando em contratar um fundo como esse? Já possui um? Deixe seu feedback nos comentários e compartilhe com a gente a sua experiência!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*