Educação financeira no Brasil: Entenda a sua importância

Podemos afirmar que a educação financeira no Brasil possui algumas peculiaridades que a distingue de outros países, por exemplo. Isso porque os cidadãos brasileiros costumam ter pouco hábito de falar sobre finanças.

Aliás, a grande maioria dos brasileiros tem muita dificuldade para falar sobre o valor do salário que recebem, e praticamente nunca tecem comentários sobre o mercado financeiro, tampouco sobre como controlam as finanças.

Claro que nos últimos anos o Brasil evoluiu bastante neste sentido, mas falar de dinheiro ainda pode ser entendido como um tabu entre uma boa parcela de brasileiros. Confira maiores informações no artigo de hoje!

Principais desafios da Educação Financeira no Brasil

Como o brasileiro não gosta muito de conversar sobre a sua vida financeira, isso acaba afetando até mesmo a forma como faz seus investimentos, e em algumas instâncias, acaba tendo prejuízos sérios.

O único ensinamento que parece predominar entre os brasileiros é o do “poupar”, em que as pessoas aprendem a guardar dinheiro, mas na maior parte dos casos, não sabem investir para multiplicar seus ganhos.

Compreendendo o conceito de educação financeira

Antes de qualquer coisa, deveremos entender a educação financeira, não como um ensinamento para o ato de “poupar” ou “saber juntar uma grana”.

A educação financeira no Brasil vai muito além disso, tendo em vista que tem uma relação voltada para a conscientização sobre as diferentes oportunidades e riscos que o mercado financeiro nos oferece.

Com isso, podemos afirmar que a educação financeira em nosso país, torna-se fundamental, a partir do momento que seus ensinamentos nos trazem um pouco mais de segurança e independência financeira.

Outro ponto importante que precisamos mencionar é que, a educação financeira no Brasil, ela não tem nada a ver com classe social, já que é algo que pode e deve ser aprendido por todos, uma vez que nos dá suporte para ter uma vida financeira mais estável.

Entendendo a importância de falar finanças no Brasil

Como estamos em uma era em que uma das premissas que pairam no ar dos brasileiros é a do consumo de bens e produtos, se a pessoa não tiver uma noção mínima de finanças, acabará endividado.

Não é atoa que os números de pessoas que entram no SPC e Serasa no Brasil é elevadíssimo. Isso ocorre, pois os brasileiros em geral carecem de uma boa educação financeira.

Educação financeira

A partir do momento que as pessoas passam a pesquisar mais sobre este tema para se educarem financeiramente, elas criam o que chamamos de rotina de planejamento financeiro e aprendem a gastar com muito mais sabedoria.

Você, por exemplo, já conseguiu imaginar o quão benéfico seria para você ter um conta de emergência, conseguir pagar todas as suas contas em dia, conseguir poupar pelo menos 10% da sua receita líquida? Seria fantástico, não é mesmo?

Como podemos avaliar a educação financeira em nosso país?

Economistas alertam que a educação financeira não é o forte dos brasileiros, tendo em vista que mais de 40% dos brasileiros não fazem um controle de suas finanças e dentro desse total, 20% tenta administrar sua vida financeira apenas de cabeça.

Fazer isso pode parecer inofensivo em um primeiro momento, mas em longo prazo, principalmente pensando lá na aposentadoria, ou em outras eventuais emergências, isso pode acabar causando muita dor de cabeça.

Educação financeira

Aliás, uma parte parcela dos brasileiros não conhecem o termo “investir”, ou se conhecem, não tem a menor ideia de como fazê-lo.

A forma mais predominante de investimento que impera entre os brasileiros é a poupança, mas também ocorrem casos em que a pessoa sabe o que é uma poupança, mas não economiza efetivamente.

Poupança tem mais popularidade no Brasil

Como apontamos anteriormente, a poupança é um meio de investimento mais popular entre os brasileiros, e isso tem muito a ver com a educação financeira no Brasil, pois tornou-se cultural dar prioridade sempre para a poupança.

Educação financeira

Estima-se que mais de 60% dos brasileiros investem o dinheiro que possuem em algum tipo de poupança, embora boa parte das pessoas deste percentual não tenham a menor noção de quais investimentos de poupança geram as melhores taxas de rendimento.

Precisamos destacar que o rendimento de uma poupança é muito baixo, mas os brasileiros ainda assim preferem este método, por considerarem o menos arriscado.

Dicas para melhorar a educação financeira no Brasil

A seguir, separamos algumas boas dicas para que você possa aprender a se educar financeiramente, ou do que o nosso país precisa fazer para que seus cidadãos conheçam mais sobre finanças:

Investir em Educação Financeira nas escolas;
Conhecer a ENEF (Estratégia Nacional de Educação Financeira) e o que ela propõe;
Segurar os impulsos consumistas;
Estudar mais sobre a possibilidade de fazer investimento na bolsa de valores;
Buscar conhecimento de mercado;
Começar a investir cedo;
Utilizar simuladores de investimentos;
Invista em comunidade;
Entre muitos outros.

Como você pode observar ao longo do nosso artigo de hoje, a educação financeira no Brasil é uma problemática que precisa ser superada, para que os cidadãos brasileiros aprendam a lidar melhor com a vida financeira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*